• 24 de março de 2020 |
  • 0 comentários

Vice Prefeito do interior do Maranhão quase caiu em golpe de estelionato.

No mundo da internet você pode encontrar de tudo, onde há muitas facilidades nos dias de hoje em que podemos obter vários produtos e fazer negociações.

Mas nesse caso, um vice Prefeito de uma cidade do interior do Maranhão, por pouco não foi uma das vitimas do golpe aplicado através do anúncio de um veículo pelo site OLX.

Acontece que uma certa pessoa, identificando-se como policial militar, entrou em contato com o anunciante mostrando interesse no carro na plataforma de vendas, afirmando que pagaria o veiculo à vista e repassaria a uma terceira pessoa por um valor maior, pedindo que mostrasse o veiculo ao destinatário e não fosse tratado de valores.

Foram dias de negociação e no dia do pagamento, o suposto comprador enviou por whatsapp ao proprietário do veiculo,  um comprovante de transferência no valor de 67.000,00; ao mesmo tempo que solicitava ao verdadeiro comprador que depositasse de imediato na sua conta o valor acertado, visto que já havia concluído a negociação com o proprietário.  Assim que o comprovante foi recebido, observando a demora do montante entrar na conta de destino e desconfiado do recibo e da rapidez que o estelionatário solicitava o repasse do carro para o cliente final para obter  dele os valores; o vice prefeito foi até uma agência bancária e pediu que a gerente observasse o por que da demora da transação bancária, foi aí onde a gerente disse que nos dados do comprovante foram verificados a inexistência da Agência e Conta descritas.

Imediatamente o vice prefeito entrou em contato com o cliente final, perguntando se o mesmo havia pago algum valor ao falso policial, sendo respondido que mesmo diante a insistência, afirmou que só pagaria assim q estivesse de posse do documento de transferência. Foi aí que o vice prefeito perguntou por qual valor o cliente final estava adquirindo o veiculo, afirmando que era por 55.000,00 reais. Diante do falso comprovante de transferência e dos valores divergentes de compra e repasse, logo foi visto que tratava-se de um GOLPE.

Fica a dica aos leitores deste blog, que em hipótese alguma repassem fotos de documentos pessoais ou de veículos por negociações on-line.

 

Deixe o seu comentário